19 de setembro de 2008

Começou a 10 de Setembro...

Sim, a maior experiência em Física de Partículas alguma vez realizada pelo Homem! O LHC (Large Hadron Colider) começou a acelerar protões no CERN!

"Tudo nesta experiência é ENORME: o número de físicos de todo o mundo envolvidos no projecto – cerca de dez mil cientistas; o tamanho dos detectores – o ATLAS tem o tamanho de um prédio de 10 andares e o CMS pesa tanto como a Torre Eiffel; a quantidade de dados experimentais que a experiência vai produzir... Foram precisos vinte anos para conceber, projectar e construir as experiências, e outros quinze a vinte anos serão necessários para as explorar completamente!
É natural que este dia tenha sido aguardado com ansiedade e muito festejado por toda a comunidade científica!
Aqui fica uma fotografia “Eu no CERN” que tirei, dentro do ATLAS, em Setembro de 2007, quando ainda estava em construção".
Professora Rosa Simões

2 comentários:

Anónimo disse...

diz que o aparelho está parado.... depois dos hackers... agora surgem problemas técnicos... alguém sabe pq?

Jabaf disse...

Os físicos do CERN (Centro Europeu de Investigação Nuclear) foram forçados a desactivar o maior acelerador de partículas do mundo na semana passada, após o transformador de 30 toneladas que arrefece parte do LHC ter sofrido uma avaria.
Os investigadores já conseguiram substituir o transformador defeituoso esta semana, tendo recomeçado a arrefecer o túnel de 27 quilómetros de circunferência que se encontra sob a fronteira franco-suíça.
O túnel encontra-se actualmente próximo do zero absoluto (0 Kelvin, -273,15 °C, -459,67 °F). Quanto mais próxima do zero absoluto for a temperatura, mais produtivas serão as experiências realizadas no acelerador de partículas.
A falha do transformador elevou as temperaturas operacionais, que são inferiores a 2 Kelvin (-271.15ºC), para 4,5 Kelvin, um valor que, apesar de ser extraordinariamente frio para a Terra, é demasiado quente para que a máquina possa funcionar.
Os cientistas esperam realizar as primeiras colisões de protões dentro de semanas. As colisões irão produzir partículas exóticas que serão registadas pelos detectores do LHC, permitindo um melhor entendimento acerca da matéria e dos mistérios do Universo, como o "bosão de Higgs".

(adaptado de artigo publicado em http://ciberia.aeiou.pt)