29 de outubro de 2008

INDIGNAÇÃO

.
O Conselho Pedagógico da Escola Secundária Campos Melo, reunido hoje, manifesta por unanimidade o seu total repúdio e indignação face à abusiva e ilegítima utilização da imagem da Escola, enquanto instituição pública credível, independente e apartidária ao serviço da educação, pelo blogue
http://www.blocoesquerdacovilha.blogspot.com/
ao publicitar indevida e extemporaneamente o documento interno "Moção com vista à suspensão da aplicação do novo modelo de avaliação em nome de uma avaliação promotora do sucesso e da dignificação da carreira docente", o qual considera utilizado com a reprovável finalidade de comprometimento partidário da nossa escola.
.
Texto revisto e republicado em 30/10/2008

17 comentários:

Anónimo disse...

É lamentável o oportunismo político de alguns...VERGONHOSO!
Enquanto signatário da moção apresentada em Conselho pedagógico condeno veementemente este oportunismo político onde não me revejo!

João Boléo Silva

Ana Monteiro disse...

O Bloco de Esquerda da Covilhã parabeniza, parabenizará e será solidário com os Professores do nosso Concelho que assinarem moções de repúdio por este sistema de avaliação vergonhoso, INDEPENDENTEMENTE DA SUA OPÇÃO PARTIDÁRIA,
Este é o grande centro da nossa luta... e de todas fará divulgação...
Este tipo de manifestação de indignação vale o que vale... a nossa verdadeira indigação neste momento é dirigida para este tipo de avaliação.

Anónimo disse...

Vergonhoso é a forma como conselho executivo dessa escola usa este facto de uma forma completamente demagógica e absurda. Se estão indignados que ganhem coragem e falem com as respectivas pessoas sobre o sucedido, porque de pessoas hipócritas, cobardes e ignorantes que fazem acusações sem direito de defesa está o país chega.
Eu tenho pena é que haja alunos a ser manipulado pela vossa hipocrisia ancestral.
Bem visto que vos falta uma lição de pedagogia cá vos a deixo:
1º Apurar os factos
2º Discutir os factos
3º Chamar a pessoa acusada para que se possa defender
4º Dialogar de modo a esclarecer as (in) responsabilidades (se as houver)
5º Discutir conclusões
6º Atribuir “penas” caso haja necessidade disso

É esse o principio da justiça que vos falta! É isto que querem ensinar aos vossos alunos?
Continuação senhor pedagógicos.
PS. Não sou o responsável pelo respectivo Blog, apenas uma pessoa atenta às hipocrisias que se vão passando pela cidade e pelo país.

Espero que não apaguem este post, isso no minimo revelaria uma anti democracia assustadora.

peace love unity and respect!

BLOCO ESQUERDA COVILHA disse...

É notório o facto de no início da notícia e de modo bem destacado se encontrar mencionado que a moção é da iniciativa de professores da Escola Campos Melo - Covlhã, e não do Bloco de Esquerda - Covilhã. Só numa perspectiva muito pouco democrática é que alguém poderá ficar indignado por um blog de carácter partidário informar os seus leitores de uma iniciativa que se crê seja pública e do interesse geral da comunidade.

Anónimo disse...

1º Apurar os factos

2º Discutir os factos

3º Chamar a pessoa acusada para que se possa defender

4º Dialogar de modo a esclarecer as (in) responsabilidades (se as houver)

5º Discutir conclusões

6º Atribuir “penas” caso haja necessidade disso


6 mandamentos das regras de justiça

Anónimo disse...

e sobre isto? hum?

«No dia 17 de Outubro o Clube Agenda 21, da Escola Secundária Campos Melo, em colaboração com a OIKOS dinamizou, pelo segundo ano consecutivo, a actividade “Levanta-te e Actua”. Às 9.45h houve toque de campainha , os alunos levantaram-se e a/o professora/o da turma leu o manifesto pela erradicação da pobreza, mostrando que todos estavam ali reunidos contra a pobreza e a favor dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio.
Foram cerca oitocentas pessoas, entre alunos, professores e funcionários que se levantaram pela erradicação da pobreza, nesta Escola. O objectivo é que participe um maior número de pessoas possível para bater o recorde do ano transacto. »


http://blocoesquerdacovilha.blogspot.com/2008/10/levanta-te-e-actua.html

Elsa Duarte disse...

Anónimo
Da minha parte, enquanto colaboradora deste blogue que não me pertence, lamento, por agora, o facto de não se identificar.
Para quem faz acusações de hipocrisia e cobardia... olhe que não fica bem no retrato.

Anónimo disse...

Também lamento muito o anonimato... e também lamento que um Conselho Pedagógico, nesta altura critica, perca tanto tempo a discutir este tipo de coisas, se alhar até dedicou menos tempo à moção em si, e isso é que era importante!
Ana Monteiro

Anónimo disse...

Cara Elsa, aquilo que eu disse foi simplesmente a minha opinião, ainda bem que foi aceite isso revela abertura, e sim acho que foram cobardes e hipocritas por não terem falado com a pessoas antes de acusarem logo e mais aquilo que o BE fez não foi oportunismo visto que no post está bem identificado quem é a entidade responsavel, o nome "blocodeesqerda" não está em nenhuma parte do referido posto...

Olhe eu nao tinha absolutamente nenhum problema em identificar-me. Não o faço para ferir sustetibilidades e não forer represálias no futuro, porque na realidade o que se passa é isso.

As pessoas são penalizadas pelas suas opiniões, assim a mesma fica registada e não vou receber represalias das pessoas afectadas.

deixo o meu ultimo comentário, a minha opinião está bem explicita e acho que os oportunistas não foram os do BE mas foram voces.
Agiram de forma imatura, injusta e demagógica, mas eu todo o caso cá estarei para que me provem que isso não é verdade.

Peace Love Unity and Respect!

Prof. da escm disse...

Ó Ana, que grande lata!!!

Sem mais comentários...

Ana Maria de Jesus Monteiro disse...

Todos os meus comentários nesta matéria estão devidamente assinados por mim. Nem sei como pode ter assaltado alguma dúvida a alguém!
Viva a nossa "camioneta" no dia da manifestação!!! Vivam os PROFESSORES da Campos de Melo que lutam pela dignidade da profissão( e não por interesses carreiristas alcançados pelo aménismo)e que não se deixam amedrontar!!!
Muitos beijos e abraços para todos!!! Boa viagem!!!

ANA MARIA DE JESUS MONTEIRO

Paulo Lopes disse...

Comentário a Anónimo/Ana:

Espera-se que um professor tenha sempre uma postura condizente com a sua posição face aos alunos e à comunidade em geral.

Paulo Lopes, professor da ESCM e membro do Conselho Pedagógico

Elsa Duarte disse...

Ao anónimo ou anónimos e outros afins
Não posso deixar de lhe(s) dizer umas coisas a título pessoal, e em definitivo, que adiei na outra intervenção.
Primeiro, não sei com quem trato, como tal não deve tratar-me nem de cara nem de barata.
Segundo, acho que este blogue não tem de lhe provar nada. Bem pelo contrário, acho que quem faz acusações é que tem que as provar. Ora o(s) seu(s) comentários estão cheios delas, visando tudo e todos dento da ESCM, ao falar em manipulações, falta de justiça e más pedagogias.
Este não é um blogue pessoal, representa uma instituição de que faço parte e que não gosto de ver nem instrumentalizada por ninguém, nem denegrida por gente que apregoa a democracia mas age na sombra.
Que quer(em), não gosto de gente que não se assume. Para mim, que sou de antes do 25 de Abril, esta forma de agir não cabe na definição de democracia. Seja quem for o visado, a escola, eu ou mesmo você(s). Acho que não tem(têm) legitimidade nenhuma para vir(em) dar lições democráticas seja a quem for.
Apesar de colaboradora deste blogue, também tenho direito a ter as minhas opiniões pessoais e foi nessa base que assinei com o meu nome completo e não com o que uso no blogger, mas que corresponde às minhas iniciais.
Já no papel de colaboradora deste blogue o qual, repito, não é meu mas cuja gestão me cabe em parte, devo registar que na curta história da sua existência nunca se publicaram comentários de anónimos com subidas de tom e abaixamento do nível. Foi esta a primeira vez e, na minha opinião, será a última, pois este jornal-blogue foi pensado para outras coisas mais dignas e mais elevadas que a chicana sócio-política, que parece ser o que está na moda.
Maus sinais dos tempos! Mas eu já sou um bocado antiga.

A Flor do Cardo disse...

Neste momento difícil da nossa profissão seria bom que, enquanto classe,mostrassemos a dignidade que nos é exigida e a união para que nós próprios possamos exigir que nos deixem cumprir o nosso papel na sociedade - construtores de saberes e também educadores desta e doutras gerações.
Vem-me à memória Jorge Palma " Ai Portugal, Portugal, do que é que estás à espera? Tens um pé numa galera e outro no fundo do mar!"
Levantemos então as amarras e partamos à procura dos verdadeiros desafios , derrubando Adamastores, com a coragem e confiança em nós próprios de que sabemos o que é melhor para este país do que os senhoras e senhora que nós sabemos. Deixemos o peixe miúdo para gente pequenina e concentremo-nos no que é verdadeiramente importante. E, sobretudo, sem partidos.

A Flor do Cardo

Anónimo disse...

Elsa Duarte não vale a pena estarmos para aqui a discutir isto. Respeito a sua opinião, como só podia ser, acho que em parte tem alguma razão, mas penso que mais vale dizer a minha opinião directamente do que andar calado ou mandar bocas indirectas. Eu deu a minha opinião, se calhar fui ofensivo, se assim foi peço desculpas, mas eu não vou alterar a minha opinião no medo de ferir susceptibilidades, isto é a pureza da diversidade, é a diversidade pura e crua, diferentes opiniões e pontos de vista, eu tenho a minha opinião, você tem outra, os gestores do blog têm outra, a mim cabe-me respeitar a vossa. Não quero dar lições de democracia, sabe, eu tenho 16 anos, vocês é que mas deviam dar a mim, mas com toda a sinceridade não foi bem o caso. Democracia e justiça é saber ouvir os argumentos de defesa e saber ouvir as duas caras da moeda. Isso não aconteceu mas tudo bem. Eu nem sequer sou da ESCM.
Outra coisa foi terem acusado (independentemente de quem foi) a Ana Monteiro de ser a pessoa que escrevia em anónimo, bem derem um tiro no escuro e acertaram ao lado.
O meu nome é João Nuno Ribeiro Mineiro, sou aluno do 11º ano da Escola secundária quinta das palmeiras, tenho 16 anos e sou natural da Covilhã.
Chega de ter medo de represálias eu assumo a responsabilidade das minhas opiniões.
Cara Elsa, eu tenho contacto pessoal, caso ache necessário esclarecer alguma coisa, não hesite em pedir.
Sem mais assuntos, despeço-me, João Mineiro

Elsa Duarte disse...

Para que de vez fique clara a minha posição…
Reconheço, é difícil a destrinça entre colaboradora do blogue e professora da escola.
Começo por responder ao último comentarista, que eu também gosto de subverter as regras, sempre e quando isso não traz mal ao mundo.
Flor do Cardo, para dizer o que disse bem se podia ter identificado. Tem razão é a dignidade da profissão docente que está em causa, desde o início desta novela mexicana. Por isso mesmo neste momento de luta, que se quer digna, devem ser denunciados os actos de oportunismo, de carácter político-partidário ou de outras naturezas, sob pena de continuarmos todos a ser rotulados com base no comportamento impróprio e pouco profissional de alguns. É urgente separar o trigo do joio!
Tenho calado aqui, por razões óbvias, mas chegou a vez de o tornar público: eu não rejeito a avaliação dos professores, rejeito esta pelos objectivos alheios à educação que a norteiam, pelos princípios de injustiça em que se baseia e pelo processo inadequado e atabalhoado que condiciona gravemente a função docente. Rejeito esta porque põe em causa o futuro dos alunos, dos professores e, em última análise da sociedade.
Olha, Ana,
Não me deitas poeira para os olhos ao dizer que a moção foi divulgada junto de colegas de outras escolas antes, de ser apresentada em pedagógico, sublinho antes. Uma coisa é partilharmos uma iniciativa de luta a nível privado com os da nossa classe, outra é servirmo-nos dela para fazer propaganda partidária. Para mim, quem o faz é o de menos.
Ao anónimo agora identificado:
O texto «indignação» não acusa ninguém.
Os dois comentários subsequentes também não.
É, no mínimo, espantoso como logo no terceiro comentário aparece um anónimo a assumir as dores de parto de um acusado que só o anónimo vê.
Ainda por cima, ofendendo tudo e todos, atreve-se a fazer a avaliação de um processo que é interno da ESCM e que, sendo o anónimo um elemento externo à escola deverá, portanto, desconhecer.
Este blogue não é um tribunal. É uma tribuna. Expressam-se opiniões, de preferência construtivas.

Por mim, ponto final, final!
Que agora é tempo de união e de rejeitar todos os gestos que podem dividir.

Elsa Duarte disse...

Só duas correcções, que gosto de ser correcta e fiel à minha língua. Deve ler-se:
«Começo por responder ao penúltimo comentarista…»
«… de outras escolas antes de ser apresentada em pedagógico, sublinho antes.»